sábado, 16 de outubro de 2010

Construtivismo Russo

Construtivismo Russo

“PROUN - de PRO – UNOVIS, indica um domínio criativo sem precedentes, situado em algum lugar entre a pintura e a arquitetura.” (Pág. 204, História Crítica da Arquitetura Moderna, Kenneth Frampton.)


 O Construtivismo Russo teve sua origem na Rússia no ano de 1919 difundida da revolução vermelha decorrida em 1918, foi um vanguarda estética-politica, que misturava o idealismo socialista à pintura e a arquitetura traduzindo a aclamação pelo novo governo em quadros e nas edificações estatais. 
O construtivismo nega uma arte pura, e tenta negar que ela é uma criação humana, a nova arte devia ser inspirada nas conquistas do povo operário abrangendo as novidades que as maquinas e a industrialização traziam. Na arquitetura procurava usar formas geométricas puras e cores primárias.
  Os arquitetos construtivistas se valiam da idéia de um novo mundo para projetar e refletir no seu projeto os ideais desse mundo novo, sempre servindo ao povo e ao estado. Procuravam projetar coisas úteis, o seu  ideal era que a arte e a arquitetura fossem unificadas com a sociedade criando uma nova arquitetura chamada de “arquitetura prática”, que não seria nem superior nem inferias as outras, mas que todas teriam a mesma validade, mas uma característica adotada do socialismo, a igualdade entre as coisas e  o seres. A arquitetura devia servir a massa e ao estado enquanto cumpre seu papel, devia ser um modelo social.

No ano de 1920, considerando um dos mais significativo para o movimento, foi  formado o primeiro grupo construtivista, que põe a prova toda forma de arte que não seja útil para o movimento e surge o Instituto de Cultura Artística (Inkhuk) e os Ateliês Técnico-artísticos Superiores (Vkutemas), dando o ponta-pé inicial para que o movimento saísse do papel. A principal influencia do movimento foi o futurismo italiano.
Os projetos assumiam a idéia da nova sociedade socialista, enfatizada no fervor revolucionário das massas operarias. A idéia de coletivização predominava, a urgência de adaptação das cidades à nova ordem política dava aos arquitetos uma frente maior e mais espaço para desenvolver a parte mais expressiva do Construtivismo Russo: a edificação. A euforia e motivação para as construções eram grandes.
A arquitetura foi uma das formas mais importantes de comunicação do estado, era uma forma de arte que estava nas ruas ao alcance do povo. Embora muitos projetos nem tenham saído do papel apenas a sua contemplação davam alegria ao povo. Era usada como veiculo de transformação da terra, era usada para regular as estruturas da convivência humana. Foram tomadas medidas como a nacionalização da terra, a expropriação dos grandes edifícios os tornando públicos, o estado usa a arquitetura para mostrar a massa operaria que estava tomando medidas.
Os arquitetos construtivistas se baseiam em diversos estudos e exercícios para iniciar o projeto, testam novos matérias. Partem da analise de maquinas, da composição e complexidade das formas, do estudo entre a harmonia  das cores e das linhas, da intersecção dos planos, superfícies e volumes. Analisando o contexto da época vemos que a maquina é a principal fonte de inspiração, ela que motiva a revolução e logo a nova arquitetura do novo estado. Ela integra a criação à reprodução técnica e industrial das formas ou seja possibilita o funcionalismo, um dos principais pilares da arquitetura construtivista.

Não queremos fazer projetos abstratos, mas tomar problemas concretos como ponto de partida”. (Alexei Gan). Fonte http://urssconstrutivismo.blogspot.com/
A cor era um dos principais artifícios da arquitetura construtivista, os arquitetos consideravam que o tratamento dos matérias naturais podia enriquecer as superfícies da obra. As cores deviam combinar não somente entre si mas também com os conceitos arquitetônicos empregados. A composição de diversos materiais como o concreto, o vidro e o aço criavam novas ferramentas para  a composição de expressão formais proporcionado à criação de novos ritmos e harmonias. Os arquitetos experimentavam as cores, misturavam-nas, analisavam-nas, novas escalas eram criadas. Chegaram à conclusão que cores como o marrom escuro,o vermelho escuro, o cinza e o preto podem deixar o edifício com um ar de pesado e sujo, enquanto cores como o verde, o amarelo, azul-céu e algumas outras cores claras proporcionam a impressão monumentalidade e de glorificação.


Imagens: Retiradas do livro Deconstruction Omnibus Volume.
 Fonte: http://urssconstrutivismo.blogspot.com/

A forma mais simples que encontramos para definir Construtivismo Russo foram os estudos do arquiteto, também russo, Chernikhov. Segundo o estudioso essa vanguarda trata-se da união de corpos dos mais diversos tipos e formas, sejam eles fluidos ou rígidos. A segunda característica é o enroscamento dos corpos, como se fossem oriundos de uma maquina, ou como se fossem peças de uma maquina.Os elementos se juntam sem modificar seus volumes, formando diversas formas.



Imagens: Retiradas do livro Deconstruction Omnibus Volume, pág. 51
Fonte: http://urssconstrutivismo.blogspot.com/
As leis que regiam o construtivismo era dividas em 10:
A primeira lei: as coisas que são unificadas tem que estar na base dos princípios construtivos, sendo imateriais ou não. Elas tem que estar sempre de modo que o cérebro a grave a primeira vista.
Segunda lei: A construção só se torna efetiva quando pode ser racionalmente justificada.    
Terceira lei:os elementos tem que estar unidos de modo harmônico, para que possa haver a combinação inteiramente construtiva.
Quarta lei: Os elementos só darão forma à construção se tiverem em conjunto, ou alojados, eles precisam mostrar que estão ativos na união.
Quinta lei: A construção tem que ter um efeito sentido ou seja a apropriação de todas as formas tem que seguir a mesma ideologia e traduzir o sentido da obra.
Sexta lei: Cada nova construção é resultado da investigação humana, e a obra tem que ser  inventiva e criativa.
Sétima lei: A construção tem que ser bonita e aperfeiçoada constantemente para que fique como contribuição para as culturas futuras.
Oitava lei: A coesão dos elementos da obra refletem a concordância e a idéia de coletivismo entre a humanidade.
Nona lei:Cada nova idéia construtiva deve seguir fielmente as bases do construtivismo, o idealizador deve ter conhecimento absoluto dos processos pelos quais o projeto irá passar.
Décima lei: Antes de ser executada a obra deve passar pelos critérios anteriores e atingir o desenvolvimento que é necessário e possível.
O arquiteto  precisa ter para seu projeto a necessidade de usar as bases e assim firmas a sua obra no partido do construtivismo.


Os principais grupos que fizeram parte do construtivismo foram:
Asnova- Associação de Novos Arquitetos – Surgiu em 1923, procuravam a forma da construção dentro da estética cientifica que traduzissem as aspirações do novo estado.

Vkhutemas - Ateliers Superiores de Arte e Técnica – Surgido em 1920, foi o grupo que mais fez testes e exercícios usando as formas puras, o crescimento e a diminuição da forma dinâmica.
OSA - União de Arquitetos Contemporâneos – Surgiu em 1925, com o socialismo em crise, após a morte de Lênin. Lançaram a primeira revista dedicada à incorporação de métodos científicos a pratica arquitetônica a Sovremennaya Arkhitekutra. Esse grupo foi atacado por um grupo Pro - Stalin conhecido com VOPRA (Associação dos Arquitetos Proletários – URSS), que condenava o grupo por acharem que seus projetos não seguiam as regras do construtivismo.


.MAO (Moskovskoe Arjitekturnoe Obshchesvo):
Colégio de Arquitetos de Moscou.
. Ilia Golosov: . Comissão de Pintura, Escultura e Arquitetura: embasados nas artes de esquerda, usavam a  iconografia simbólica que expressava os novos programas.
Principais arquitetos
. Zodchij
. Ivan Fomin:
Boris Koroliov
 Alexandr Rodchenko:

. Alexandr Vesnin

. Iakov Chernijov:.

. Moiséi Iakovlevich:

. Ivan Leonidov:

. El Lissitzky:.

. Konstantin Melnikov:.

. Alexandr Rodchenko:

. Vladímir Tatlin:.

. Alexandr Vesnin:.


Apos a crise do socialismo e a morte e Lênin, em 1931 Stalin assume o governo e começa a perseguir os construtivistas, com acusações de inventarem uma forma de arte e arquitetura sem propósito, com a intenção de  acabar com as idéias da revolução, de ir contra o moderno e preservar o clássico. Após o começo da Guerra Fria Stalin começou um processo de apagamento das origens e diretrizes do construtivismo, pois o ditador achava que além do clássico elas remetiam ao ocidente também. O construtivismo Deixou raízes e serviu de influencia para as vanguardas que surgiriam posteriormente como a Bauhaus alemã e o neoplasticismo holandês.

 Principais Obras:
Monumento à III Internacional:  Construída por Tatlin, é uma gigante espiral de aço constituída por três cômodos de formas diferentes: uma forma cilíndrica, uma pirâmide e uma forma cúbica envidraçados e informativos. Eles giram entre si  em tempos diferentes, o cilindro demora um dia para a rotação completa, a pirâmide um mês e o cubo um ano.


Torre de radio em Moscou: de Vladimir Shujov, foi projetada para ter 150 metros de altura e era feita de cinco hipérboles superpostas. A estrutura poderia se executada sem a necessidade de andaimes. Essa torre era associada à beleza e expressividade  do monumento de Tatlin.


Palácio do trabalho: de Noi Trotsky. Lugar para eventos, palestras, congresso e reuniões.

2 comentários:

  1. Muito boa pesquisa.
    Que tal associar os 10 princípios do Construtivismo Russo a crítica ao ornamento do Neoclassicismo e do próprio texto "ornamento é crime" de Adolf Loos?
    Procurem ver as relações.
    Que tal investigar agora que tipo de arquitetura atual tem como referência a estética construtivista?
    Ah se nossa torres de celular hoje pudessem ser assim um monumento!

    ResponderExcluir
  2. Ficou muito bom!

    Safira Mônica Gatto

    ResponderExcluir